11 de agosto de 2010

para o livro de memórias...

Seis e quinze da manhã, eu ainda dormindo e você pula da minha cama e fala:
MAMÃE, TO NA SUA BALANÇA... TO PESANDO DOISI KILI...


Sete horas da manhã, nós duas indo pra minha escola para depois eu te levar à sua...
MAMÃE, QUANDO EU TIVER BEM PEQUENININHA IGUAL A RAÍSSA EU TIVE NA SUA BARRIGA...

10 de agosto de 2010

acredito até o fim...





Se amanhã o que eu sonhei não for bem aquilo, eu tiro um arco-íris da cartola. E refaço. Colo. Pinto e bordo. Porque a força de dentro é maior. Maior que todo mal que existe no mundo. Maior que todos os ventos contrários. É maior porque é do bem. E nisso, sim, acredito até o fim.