11 de fevereiro de 2011

chega de saudade...


Chega de Saudade


Vai, minha tristeza, e diz a ela
Que sem ela não pode ser
Diz-lhe, numa prece, que ela regresse
Porque eu não posso mais sofrer

Chega de saudade, a realidade é que sem ela
Não há paz, não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim, não sai de mim, não sai

Mas, se ela voltar, se ela voltar
Que coisa linda, que coisa louca
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos que eu darei na sua boca

Dentro dos meus braços
Os abraços hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim
Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim

Que é pra acabar com esse negócio de viver longe de mim
Não quero mais esse negócio de você viver assim
Vamos deixar desse negócio de você viver sem mim

Vinícius de Moraes

2 de fevereiro de 2011

minha bailarina...






E finalmente você largou a chupeta. Mérito do "Coelho da chupeta", que veio buscá-la ontem, e trouxe muitos presentes legais, dentre eles o objeto que, de certa forma, entrou como substituto; a roupa de bailarina.

Toda vestida de cor de rosa, você fazia poses, dava piruetas, ficava na ponta dos pés e não cansava de se admirar.
Em seguida falava:


Eu sou uma princesa, uma bailarina! Não vou mais chupar chupeta! É coisa de bebezinho!!
Depois de guardarmos a roupinha para ser usada na próxima aula de ballet, vc foi dormir e quase que esquecidamente me perguntou da chupeta... Então eu lembrei vc que ela tinha ido embora junto ao coelho e lhe propus que abraçasse a Emília quando sentisse vontade de chupá-la. Assim vc fez , e dormiu tranquilamente.
No final, foi menos doído do que prometia e então meu coração ficou em paz.
Você já é uma menina bailarina, filha. Eu me orgulho muito de você.E voltava a girar! Sempre com o sorriso estampado no rosto.