3 de março de 2009

orgulho e felicidade

Não é raro eu me pegar pensando em você; porém estes últimos dias tenho sentido uma culpa tão latente, filha, que chega a doer.
Sinto culpa por não ser tão presente em tua vida como gostaria, pois esta correria do dia a dia faz com que nos vejamos apenas por algumas poucas horinhas durante a semana. Porém, sei também meu amor, que mais importante que quantidade, é a qualidade; e por isso procuro fazer dos meus momentos com você, os melhores.
Você está crescendo muito depressa, ontem mesmo eu e seu pai conversamos sobre isto e chegamos a conclusão que a saudade desta fase será inevitável.
Boquinha de peixinho, de beijo, pedidos de colo, barulho do elefante, falar papai e não mamãe, falar pica-pau(papau) etc... Situações que para quem está de fora não tem a menor graça mas que me enchem de orgulho e felicidade.
Domingo sua madrinha te batizou e depois fomos almoçar em família. Você é muito peculiar, filha. Sempre surpreendendo a todos, sempre aparecendo mais que os outros.
Na igreja você fez um escândalo, eu me vi literalmente louca com seus berros... Fazê-la parar, nem que seja por um minutinho, não é tarefa fácil.
Achei engraçado o comentário que sua avó Anamaria fez quando viu você brincando despreocupadamente enquanto eu segurava a Gabi no colo... Ela disse assim:
"Paty, quando você tinha a idade da Biê, eu não podia pegar nenhuma outra criança no colo, você fazia um escândalo..."
Você é diferente filha. Tem uma alma nobre. Não é qualquer ciumezinho que te abala; mesmo porque você já sabe que ninguém é pario pra ti.

Um comentário:

  1. paty.. primeiro: saudades..

    e vc disse certo: qualidade acima de quantidade..
    é que dá vontade de ficar o tempo inteiro com eles, né?

    tem coisa melhor que filho?? NÃO!!RSRS beijos!

    ResponderExcluir

Para você que veio nos visitar vai o nosso muito obrigada...