26 de agosto de 2011

que seja doce...

Ontem vivemos um momento especial, filha... Somente eu e vc. Amor e entrega total, num lugar simples (dentro do banheiro, antes do banho) de repente, mas algo que jamais será esquecido. Meu amor por vc já é infinito e se é que isso pode acontecer, ontem ficou ainda maior que o infinito.
Depois da birra e manha habitual que vc faz diariamente (é, porque quem te conhece sabe o quanto vc insiste em sempre fazer sua vontade prevalecer, sendo assim muito resistente a obedecer qualquer que seja a pessoa) e da conversa que sempre tenho contigo depois que esses episódios acontecem, vc me olhou nos olhos, me abraçou muito forte e disse que me amava mais que tudo no mundo... Que sabia que não estava sendo uma filha boa, enquanto tinha uma mamãe que fazia tudo por vc e, que iria mudar. Nessa hora, seus pequenos olhinhos se encheram de lágrimas e vc encostou a cabecinha em meu ombro e chorou, abraçada a mim, pedindo pra eu não te largar como fez a mãe da Branca de Neve, apesar de suas feiúras. Eu, atônita com tamanha maturidade, não consegui frear as lágrimas que dos meus olhos também escorreram, e olhando em seus olhinhos marejados lhe disse que eu jamais lhe largaria, nunca, em hipótese alguma, e que se eu lhe repreendia quando fazia malcriação ou coisas erradas, era para o seu bem. Abri meu coração e senti que vc compreendia tudo com a maturidade que vai muito além da criança de três anos que vc é. Naquela hora senti como se fossemos uma só novamente... Aquele sentimento que eu tinha quando carregava vc na minha barriga. Foi mágico, inesquecível, doce.
E é só isso que quero...

Um comentário:

Para você que veio nos visitar vai o nosso muito obrigada...